Pinus. Foto: Berneck.

Sala de Imprensa

Notícias

Workshop on-line

No dia 25 de agosto, a Apre realizou o primeiro workshop on-line, que tratou do tema “Gerenciamento remoto de atividades florestais: como organizar os controles à distância”. Mais de 25 participantes participaram do encontro virtual e acompanharam as palestras de Rodrigo Meister, José Roberto Pereira, Rômulo Souza e Naiara Teodoro Zamin. O objetivo do workshop foi trazer o que há de novo e as tecnologias disponíveis no mercado para controle remoto de atividades, já que a pandemia do novo coronavírus trouxe muitos desafios para as empresas, que precisaram se reinventar para conseguir manter suas operações. O encontro foi uma oportunidade de troca de informações e de debate sobre as ferramentas que podem melhorar e agilizar os processos no setor florestal.

Rodrigo Meister, advogado, engenheiro de Segurança do Trabalho e diretor técnico da Engeseg, falou sobre “COVID-19 – Protocolos para proteção dos trabalhadores e resguardo legal das empresas”. Durante a palestra, ele destacou as medidas de orientação necessárias para adaptar o trabalho e garantir a segurança dos colaboradores; reforçou a importância de as empresas estarem atentas à legislação e de se resguardarem previamente, mantendo as provas necessárias de que fizeram a sua parte; ressaltou as boas práticas; apresentou dicas e um passo a passo do que as empresas devem fazer; além de validar o que já está sendo feito.

O segundo palestrante foi José Roberto Pereira, sócio-proprietário da Kersys, com o tema “Gerenciamento florestal: plataforma web para acompanhar a evolução dos projetos”. Na ocasião, ele mostrou o que está sendo desenvolvido e as novas tecnologias disponíveis para facilitar o planejamento e o controle em gestão florestal a partir do gerenciamento remoto, com coleta de dados no campo, processamento e acompanhamento dos indicadores, não só pelos computadores, mas também por smartphones e tablets.

Em seguida, foi a vez de Rômulo Souza, diretor da Spectrum, falar sobre “Gerenciamento ativos: Captação de dados com drones”. Em sua apresentação, ele reforçou as vantagens da captação de dados com drones, como: 1) baixa interação de pessoas com o meio ambiente, diminuindo a exposição dos colaboradores internos e externos a riscos ergonômicos e operacionais de saúde e segurança; 2) as avaliações podem ser escalonadas, não ficando restritas ao rendimento diário de uma equipe de campo, o que proporciona um rendimento até 10 vezes maior do que o de uma equipe convencional; 3) redução de custos, já que o custo de uma operação de coleta e processamento de dados com drones e algoritmos de classificação chega a ser até 15% menor do que nas avaliações convencionais.

Para fechar o evento, Naiara Teodoro Zamin, supervisora do programa de manejo da Sysflor, ficou responsável pela palestra “Certificação florestal: auditorias remotas durante o período de pandemia” e apresentou as condições excepcionais para a realização de auditorias de certificação de manejo florestal e cadeia de custódia de produtos florestais durante o período de pandemia da COVID-19. Além disso, ela também destacou as diretrizes e a dinâmica geral de auditorias remotas nesse contexto.