Pinus. Foto: Berneck.

Sala de Imprensa

Notícias

WestRock: modelo de negócio sustentável, regenerativo e com base na bioeconomia circular

Ao contrário da tradicional economia Linear, a bioeconomia circular evita o desperdício, a geração e o envio de resíduos para aterros. Para isso, a WestRock utiliza os recursos com responsabilidade, para que eles retornem para o processo, circulando em nossa cadeia de forma eficiente. A bioeconomia circular aumenta a produtividade, reduz a demanda por matérias-primas e otimiza os processos energéticos.

Plantamos árvores todos os dias. E elas regeneram o planeta.

As florestas plantadas da companhia são fonte da principal matéria-prima de todos os produtos, a celulose. Elas possuem a maior produtividade do mundo: comparadas a outras árvores, as superárvores crescem mais rápido e produzem mais fibra por área. A cada minuto, removem da atmosfera mais de 1 tonelada de gases de efeito estufa. Já no processo de fabricação do papel HyPerform®, os resíduos do processamento da madeira e da celulose (recursos de fontes renováveis) substituem o uso de produtos de origem fóssil, reduzindo a emissão de gases de efeito estufa.

Assim, as superárvores WestRock e os eficientes processos de produção de papel ajudam na diminuição das mudanças climáticas, removendo significativamente mais CO2 da atmosfera do que é emitido em toda a cadeia produtiva da empresa. O saldo positivo, somente no ano de 2019, foi de 656 mil toneladas de CO2. Tudo de forma cíclica, responsável, sustentável.

Reciclamos

Na WestRock, retira-se do mercado, todos os anos, mais de 120 mil toneladas de papel e papelão pós-consumo, que voltam para a Fábrica de Reciclagem de Aparas, em Três Barras (SC), onde são processadas e incorporadas a novos produtos.

Também é promovida a reciclagem anual de cerca de 1.600 toneladas de resíduos plásticos, além de 250 toneladas de resíduos metálicos, que são destinados a parceiros que os transformam em matéria-prima para novos itens.

Regeneramos o planeta

Compostagem de resíduos: atualmente, 83,2% dos resíduos das unidades de Três Barras (SC) são enviados para o processo de compostagem. Uma mistura de lodo da ETE (Estação de Tratamento de Efluentes), cascas de madeira picada e cinzas dos processos industriais passam por um processo de compostagem por cerca de seis meses. Após esse período, a mistura é transformada em um composto orgânico, rico em nutrientes e ideal para utilização na agricultura. Esse material é disponibilizado em nossa Central de Resíduos, de forma gratuita para a comunidade. Economia Circular em Ação.

Fonte: Ibá Digital