Pinus. Foto: Berneck.

Sala de Imprensa

Notícias

Pesquisador da Embrapa ganha prêmio internacional de biotecnologia florestal

Dario Grattapaglia tem expertise nas áreas de biotecnologia e genômica florestal

O pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia Dario Grattapaglia recebeu o prêmio internacional “Forest Biotechnologist of the Year” de 2016 durante a Conferência da União Internacional de Organizações de Pesquisa Florestal (IUFRO Tree Biotechnology), que aconteceu entre os dias 4 e 9 de junho de 2017, em Concepción, Chile. Dario foi selecionado entre dezenas de pesquisadores de destaque mundial na área de biotecnologia florestal, especialmente pela produção científica internacionalmente reconhecida e o impacto das pesquisas que desenvolve em prol da sustentabilidade nessa área. Contaram também como critérios de escolha a dedicação em promover a ciência, capacidade de diálogo e liderança científica.

O IUFRO Tree Biotechnology é o evento mais importante do mundo na área de biotecnologia florestal, promovido há mais de 20 anos pela União Internacional de Organizações de Pesquisa Florestal (IUFRO, sigla em inglês). O prêmio foi instituído em 2009 pelo Institute of Forest Biosciences (IFB), uma organização não governamental com sede nos EUA, dedicada a promover o diálogo sobre o uso responsável da biotecnologia na área florestal por meio de ações científicas e sociais na busca do uso sustentável das florestas para o futuro.

Desde 2009 foram premiados sete cientistas de cinco países, todos pesquisadores de renome mundial (confira no link: https://forestbio.org/IFB/forest-biotechnologist-of-the-year/). A partir de 2017, o prêmio do IFB passará a ser concedido a cada dois anos.

“Esse é o meu primeiro prêmio internacional como pesquisador, o que por si só já é uma honra. Aliado a isso, trata-se de um prêmio de prestigio que representa o reconhecimento da comunidade científica florestal mundial ao trabalho que venho desenvolvendo há anos na área de biotecnologia e genômica de espécies florestais”, comemora Dario.

Em 2008, recebeu o Prêmio Madeira, outorgado por representantes públicos e privados do setor florestal brasileiro, por ter se destacado em atividades de pesquisa em prol do desenvolvimento econômico sustentável da indústria de base florestal e da geração de energia de biomassa no Brasil. Em 2011, foi o vencedor do 33º Prêmio Frederico de Menezes Veiga, concedido pela Embrapa em parceria com a revista Globo Rural, pelo desenvolvimento de tecnologias florestais em prol da sustentabilidade dos biomas brasileiros.

Sequenciamento do genoma do eucalipto é um dos destaques da produção do pesquisador premiado

Com uma trajetória de reconhecido destaque nacional e internacional na área florestal e mais de 100 trabalhos publicados, Dario Grattapaglia desenvolveu diversos processos tecnológicos e conhecimentos fundamentais nas áreas de genética da conservação de espécies florestais nativas e de florestas plantadas, com tecnologias inovadoras na interface entre o melhoramento e a genômica aplicada e importante impacto no setor produtivo de base florestal do país.

Um dos resultados que merece destaque foi a co-liderança do projeto internacional do genoma completo do eucalipto (Eucalyptus grandis em 2011, que resultou no genoma completo da árvore brasileira BRASUZ1 (Brazil Suzano S1) de Eucalyptus grandis publicado na revista Nature em 2014 (http://www.phytozome.net/eucalyptus.php). O eucalipto é uma espécie de grande importância para a economia brasileira, base da indústria florestal de celulose, papel, aço e produtos de madeira.

A expertise obtida com essa iniciativa culminou no sequenciamento completo do genoma do eucalipto, em 2014. Além de Dario, participaram da liderança do projeto outros dois cientistas da África do Sul e Estados Unidos e outros 50 pesquisadores de mais de 18 países.

Conheça melhor o premiado

Graduado em Engenharia Florestal pela Universidade de Brasília (UnB), Dario recebeu seu título de PhD em Genética pela North Carolina State University em 1994. É pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia desde 1994, onde desenvolve pesquisas na área de genética, melhoramento e ciências genômicas de plantas com ênfase em espécies florestais. Atua também como professor do programa de pós-graduação em Ciências Genômicas e Biotecnologia da Universidade Católica de Brasília, como professor adjunto na North Carolina State University e como professor credenciado para orientação de pós-graduandos na UnB e co-orientação pontual na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (USP-ESALQ). Em 2012, foi eleito membro titular da Academia Brasileira de Ciências.

Fonte: Embrapa