AAA Indústria florestal anuncia investimento de R$ 32,9 bilhões | Apre Florestas

Pinus. Foto: Berneck.

Sala de Imprensa

Notícias

Indústria florestal anuncia investimento de R$ 32,9 bilhões

Mesmo em período de retração, setor mantém crescimento e investe em processamento e pesquisa

Ano após ano, o setor de florestas plantadas, representado especialmente pelas espécies pinus e eucalipto, surpreende o mercado nacional pelos resultados alcançados. Se o Produto Interno Bruto (PIB) nacional alcançou 1,1% em 2018, o setor de base florestal cresceu 13,1% em relação a 2017, alcançando R$ 86,6 bilhões e respondendo por 6,9% do PIB industrial.

Esta é uma indústria que vem crescendo a cada ano e apresentando resultados expressivos. “Isso é fruto de muito trabalho e investimento. Mesmo no ápice da crise, entre 2014 e 2017, o setor investiu cerca de R$ 20 bilhões. De agora até 2023, já estão anunciados outros R$ 32,9 bilhões, em novas unidades fabris, tecnologia, florestas, etc.”, destacou Paulo Hartung, presidente da Indústria Brasileira de Árvores (Ibá).

Neste ano, a WestRock inaugurou unidade em Porto Feliz (SP), uma megaplanta de embalagens de papelão ondulado com investimento de mais de US$ 125 milhões. Outras empresas do setor também já possuem investimentos anunciados e em andamento, como Berneck (R$ 900 milhões), Bracell (R$ 6 bilhões), Duratex (R$ 4,8 bilhões), Euca Energy (R$ 9,5 bilhões), Klabin (R$ 9,1 bilhões) e a Oji Papéis (R$ 500 milhões). Diante desse cenário, de acordo com o presidente da Ibá, a perspectiva é de que não só 2019 seja positivo para o setor, mas que isso se repita nos próximos anos.

Área de florestas

O resultado excepcional do setor é alcançado com apenas 7,83 milhões de hectares de árvores plantadas em todo o país, sendo 5,7 milhões de hectares de eucalipto e 1,6 milhão de pinus. Outras espécies – como seringueira, acácia, teca e paricá – representam cerca de 590 mil hectares.

“A área de florestas cultivadas para fins industriais tem se mantido estável nos últimos anos, devido a alguns entraves burocráticos, como licenciamento, que estamos trabalhando e dialogando para avançar. No entanto, isso não é um entrave para a indústria crescer, pois há muito investimento em tecnologia e inovação, inclusive na área florestal, que permitem o aumento de produtividade”, justificou Paulo Hartung.

Os índices alcançados na produtividade do eucalipto, por exemplo, são referências mundiais, alcançando 36 m³/ha/ano (média de avanço de 0,5% ao ano) e o pinus tem produtividade média de 30,1 m³/ha/ano. “A rotatividade é outro diferencial, já que devido ao clima, terras, investimento e manejo, as florestas cultivadas nacionais levam menos tempo para estarem aptas para a colheita do que em outras partes do mundo”, destacou o presidente da Ibá.

Balança comercial

No ano passado, o setor se destacou também devido às exportações, que atingiram US$ 12,5 bilhões, aumento de 24,1% em comparação ao ano de 2017. De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o segmento tem grande participação na balança comercial do agronegócio, sendo que em 2017 as exportações só ficaram atrás do complexo soja, de carnes e setor sucroalcooleiro.

Fonte: Canal Rural – Blog Floresta S/A