Pinus. Foto: Berneck.

Sala de Imprensa

Notícias

Construções sustentáveis atingem patamar elevado no Brasil

É neste cenário que o Greenbuilding Brasil Conferência Internacional e Expo será realizado em Curitiba (PR). Evento acontece no mês de novembro vai reunir a cadeia da construção sustentável

A poucos dias da 9ª edição do Greenbuilding Brasil Conferência Internacional e Expo, que acontece em Curitiba (PR) entre 5 e 7 de novembro, a equipe de reportagem do Portal Madeira e Construção fez uma entrevista exclusiva com Felipe Faria, diretor executivo do Green Building Council Brasil (GBC Brasil), instituição que organiza o evento. O encontro vai reunir a cadeia produtiva da construção sustentável, de 5 a 7 de novembro, para fomentar o conhecimento e a tecnologia em relação ao setor, voltados à geração de negócios. E, pela primeira vez, será realizado na capital paranaense.

O Greenbuilding Brasil acontece em um momento no qual o País se destaca no ranking mundial de edificações certificadas como sustentáveis, como no caso da certificação LEED – Leadership in Energy and Environmental Design, processo que é conduzido pela GBC. Atualmente, o Brasil conta com 504 empreendimentos certificados, dentre 1,3 mil registrados pela instituição. A certificação LEED se tornou uma das mais renomadas no mercado imobiliário internacional, presente em 167 países, conforme dados da GBC Brasil.

Os “edifícios verdes” deixaram de ser vistos apenas como um diferencial de construções de alto padrão. Os conceitos estão avançando para diferentes setores, como escolas, creches, lojas, hospitais e outros tipos de edificações.

Na avaliação de Faria, já está mais do que comprovado que soluções e tecnologias para transformar uma edificação mais sustentável não são “gastos de dinheiro”, e sim investimentos e que geram grandes retornos. “Há total viabilidade financeira em projetos de edifícios sustentáveis, em edifícios certificados. Mesmo que haja um aumento no custo durante a construção, existe também um payback. No Brasil, há cerca de 500 empreendimentos com certificado LEED e o acréscimo no custo de construção nestes casos foi, no máximo, de 6%”, salienta.

Felipe Faria afirma que, apenas com todas as reduções com os gastos posteriores com energia elétrica, por exemplo, os investimentos com soluções e tecnologias já se justificariam – sem falar na sustentabilidade como um todo. No entanto, sistemas de eficiência e certificações LEED, entre outras ferramentas, trazem outros benefícios para o empreendimento, que também passam a justificar a adoção das mesmas. “Já está demonstrado que estes imóveis têm uma maior velocidade de ocupação e uma maior valorização do metro quadrado, entre outras vantagens”, afirma.

O GBC Brasil cita um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), que analisou mais de dois mil prédios comerciais em São Paulo (SP), entre o 1º trimestre de 2010 e o 3º trimestre de 2014, para comprovar estes benefícios. O levantamento apontou que as “construções verdes” têm uma valorização por metro quadrado no aluguel que varia de 4% a 8%; a taxa de vacância neste tipo de imóvel foi menor no período: 28,6% contra 34,1% nas edificações não certificadas. Além disto, os “edifícios verdes” possuem taxas de condomínios menores em relação aos empreendimentos convencionais, conforme a pesquisa.

O GBC Brasil ainda revela que a taxa anual de crescimento da certificação verde, para edifícios sustentáveis no Brasil, chega a 41%. Tanto a certificação quanto a adaptação para soluções e tecnologias para a sustentabilidade não precisam ser realizadas necessariamente em novos edifícios. “Dos certificados LEED existentes, 180 são de edifícios antigos. Isso totalmente é possível. Hoje em dia até existe uma facilidade para fazer adequações, como no caso da troca do sistema de iluminação por led ou do sistema de ar condicionado. Muitas vezes, é possível conversar com o proprietário do imóvel ou o condomínio e fazer estas mudanças sem mexer no bolso”, lembra Faria.

O diretor executivo do GBC Brasil revelou ao Portal Madeira e Construção que a instituição lançou há menos de um ano uma plataforma de benchmarking para auxiliar donos de imóveis neste processo pela busca da sustentabilidade. Podem utilizar a ferramenta online os empreendimentos registrados no GBC. O interessado compartilha informações sobre consumo de energia, consumo de água e geração de CO2 pelos ocupantes do imóvel, entre outras, juntamente com dados sobre a edificação. “Com esta plataforma, é possível verificar o quanto eficiente está este edifício”, esclarece Felipe Faria.

De acordo com ele, a ferramenta não deve ser usada apenas por aqueles que ainda não obtiveram a certificação de empreendimentos sustentáveis. “Nos prédios já com certificação, uma plataforma como esta ajuda a manter o foco. Até porque é normal que ele se perca ao longo do tempo. Quanto mais informação gerarmos, mais fácil para manter”, analisa. A ferramenta permite a autoavaliação e a comparação com a média de eficiência dentro das certificações LEED.

Curitiba

A partir de 2018, o Greenbuilding Brasil Conferência Internacional e Expo se torna itinerante e Curitiba foi escolhida para ser a primeira sede neste formato de rodízio. A capital paranaense foi escolhida por se destacar não apenas nas parcerias locais, mas pela quantidade e pela qualidade de projetos de certificado LEED e outras certificações do GBC Brasil. Tanto que, em Curitiba, os participantes do encontro farão uma série de visitas técnicas em empreendimentos que se tornaram destaque no setor de construções sustentáveis.

Felipe Faria, diretor executivo do GBC Brasil, conta que Curitiba sustenta este cenário por três motivos principais. “O primeiro deles: existe uma melhor consciência dos líderes de incorporadoras e dos investidores. Além disso, na região, há uma alta capacidade técnica e de profissionais, que têm um trabalho exaustivo para fazer simulações energéticas e entender as melhores oportunidades para alcançar os melhores resultados”, declara. Por fim, a qualidade nos investimentos nos projetos: “Isso abre portas para que tecnologias entrem nestes projetos, com os custos viabilizados”.

Um exemplo do protagonismo não apenas de Curitiba, mas de toda a região Sul do País, neste segmento está na taxa de aumento anual nas certificações verdes. Se o índice de crescimento por ano é de 41%, na região Sul o mesmo alcança quase 80%, de acordo com dados do próprio GBC Brasil.

Evento

De 5 a 7 de novembro, a 9ª edição do Greenbuilding Brasil Conferência Internacional e Expo vai oferecer aos participantes mais de 40 sessões educacionais, entre palestras e apresentação de trabalhos técnicos, e workshops, eventos de networking e visitas técnicas.

Neste ano, o encontro será realizado simultaneamente à 5ª edição do Smart Energy Paraná, evento relacionado à eficiência energética e energias renováveis, e ao ASHRAE Brasil Chapter, sobre a eficiência energética em edificações.

Toda a programação acontece na sede da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), em Curitiba. Os detalhes podem ser obtidos clicando aqui.

Fonte: Joyce Carvalho para o Portal Madeira e Construção