Pinus. Foto: Berneck.

Sala de Imprensa

Notícias

Com técnica e manutenção adequada, pontes de madeira são opção viável

Segundo especialista, estruturas mistas de madeira e concreto podem deixar obra mais barata

Com um projeto técnico adequado e o uso dos materiais preparados para este fim, a cosntrução de pontes em madeira pode ser uma boa solução para as estradas brasileiras. De acordo com os especialistas, a partir do uso da madeira tratada e com as técnicas adequadas, além da manutenção periódica, as pontes de madeira podem ter uma longa duração e serem muito eficientes.

O engenheiro civil Guilherme Stamato, especialista em estruturas de madeira, explica que os projetos de pontes devem levar em consideração alguns pontos, como os cuidados com a fundação. Nos casos de estruturas mais elaboradas, também é necessário prever uma proteção para a madeira não ficar exposta à chuva. “Isso nos casos de sistemas de vãos maiores, com vigas duplas, pórticos e treliças”, comenta.

Stamato lembra que outra solução bastante interessante com madeira é utilizar as vigas com este material e fazer uma espécie de capa de concreto por cima. “Os veículos passam pela parte do concreto e a madeira desempenha o papel estrutural. Isso gera uma economia para a obra”, afirma.

Madtrat, empresa de Santa Cruz do Rio Pardo (SP), já participou de projetos de construção de ponte mista. “Existem pesquisas e estudos que mostram os benefícios e os bons resultados”, aponta Jackson Cesar Correia, diretor comercial da Madtrat. A empresa fez a obra para o governo de São Paulo, na qual a madeira tratada foi utilizada neste formato.

Stamato lembra que a madeira tratada escolhida para o projeto deve seguir as normas da NBR 16143. O engenheiro ressalta que a conservação da madeira varia conforme a exposição do tempo prevista e isso deve ser levado em consideração no caso de projetos de pontes. Ou seja, o fornecedor deve escolher uma madeira tratada de qualidade e que tenha passado por um processo para este fim.

Cesar Correia esclarece que a madeira utilizada em pontes passa por um tipo de tratamento diferenciado em relação à madeira destinada para outros usos – mais reforçado -, sempre seguindo as normas técnicas. “Além da questão da exposição, a ponte tem outro ponto a ser pensado: a substituição das peças é mais complexa”, lembra. Além disso, o diretor da Madtrat fala que a escolha da espécie de madeira também faz diferença no projeto, juntamente com a qualidade da matéria-prima e o tratamento aplicado.

Tudo isso vai garantir a eficiência e a vida longa da estrutura, juntamente com as manutenções periódicas. “As inspeções devem acontecer pelo menos uma vez ao ano. Elas podem identificar algum ponto frágil e garantir alguma ação enquanto é cedo”, salienta Stamato.

Na percepção do engenheiro, a maior parte das estradas não passa pela manutenção correta. “O que vemos na prática são pontes sendo consertadas no período do escoamento da safra, de última hora, e sempre com os mesmos erros”, avalia o engenheiro, lembrando que as pontes de madeira estão localizadas principalmente nas áreas rurais, seja em estradas vicinais ou dentro de propriedades.

O engenheiro acredita que as pontes com madeira tratada são um nicho interessante de mercado, ainda mal explorado, pois ainda há a percepção de que a madeira não é um material durável. “Infelizmente, estas pontes são feitas sem os cuidados necessários e depois sem a manutenção correta. Depois, quando aparecem os problemas, dizem que o problema é a madeira”, conta.

Stamato avalia que, para reverter este quadro, será necessário esclarecer as vantagens da madeira e seus benefícios a longo prazo, incluindo a economia na obra e na manutenção. Correia complementa: “as pontes de madeira são construções de rápida execução”.

Manual

O Brasil conta com um manual de projeto e construção pontes de madeira. Coordenado pelo professor Carlito Calil Junior, do Laboratório de Madeiras e de Estruturas de Madeira (LaMEM) da USP de São Carlos, a publicação apresenta as recomendações para o projeto, dimensionamento e disposições construtivas de pontes tecnológicas de madeira com diversos sistemas estruturais e construtivos em vigas e em placas. São apresentados exemplos de projeto com diversos vãos, classes de resistência de madeiras de acordo com as normas brasileiras da ABNT.

A iniciativa, que contou com a participação de profissionais da Associação Brasileira de Preservadores de Madeira (ABPM), fez parte do Programa Emergencial de Pontes de Madeira do Estado de São Paulo, Projeto Temático financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), realizado entre 2002 e 2007.

O manual está disponível para download.

Fonte: Portal Madeira e Construção, com informações da Assessoria de Imprensa 

Foto Madtrat