Pinus. Foto: Berneck.

Sala de Imprensa

Notícias

CBIC faz parceria para divulgar construção sustentável

Câmara Brasileira da Indústria da Construção e o IFC, braço financeiro do Banco Mundial, pretendem difundir Programa EDGE

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e o IFC (Cooperação Financeira Internacional), braço financeiro do Banco Mundial, firmaram uma parceria para o fortalecimento do conceito de construção sustentável no Brasil. A cooperação está direcionada à difusão do Programa EDGE (Excelência em Projeto para Maior Eficiência, na sigla em inglês) no Brasil entre os empresários do setor.

Esta é uma certificação que simplifica o processo para a obtenção da chancela de um edifício verde. A Comissão de Meio Ambiente da CBIC prepara o documento para formalizar a parceria e que deve ser assinado ainda em 2017. Está previsto o desenvolvimento de projetos pilotos, capacitação e divulgação do Programa EDGE.

“O programa EDGE é uma forma mais rápida, acessível e barata para construir e certificar edificações sustentáveis. Ele avalia os três aspectos de uma construção com maior impacto ambiental: energia, água e energia embutida em materiais. Proporcionando uma metodologia de fácil entendimento, com software gratuito e um processo streamlined de certificação, o EDGE é uma forma de democratizar a certificação de sustentabilidade e oferecê-lo para empreendimentos que não teriam conseguido alcançar uma certificação de maior custo”, salienta o analista do IFC no Brasil Edward Borgstein.

De acordo com ele, “certificações como LEED e AQUA, que realizam avaliações mais abrangentes de áreas como qualidade ambiental interna, vão continuar sendo uma preferência de mercados de alto padrão, como escritórios corporativos; EDGE não é um concorrente e sim uma alternativa para oferecer a certificação a um mercado maior”.

A certificação EDGE já está disponível no Brasil e pode ser acessada pelo site www.edgebuildings.com/?lang=pt-pt. As empresas podem fazer avaliações sobre seus empreendidos no aplicativo EDGE, que é gratuito. “Todo o processo de certificação é realizado dentro do aplicativo, incluindo a comunicação com as agências certificadoras e auditoras selecionadas para seu programa”, afirma Borgstein.

O custo para o processo de certificação varia conforme o empreendimento. No entanto, segundo o analista do IFC, o investimento é menor na comparação com outras certificações na mesma área. A expectativa é de que a ferramenta não gere grandes custos aos empresários brasileiros. Com isto, pequenas e médias empresas poderão ser beneficiadas com a parceria.

Borgstein esclarece que, neste momento, duas organizações são habilitadas para oferecer certificação EDGE no Brasil, sendo elas o GBCI e o consórcio SGS/Thinkstep. “A certificação já está adequada para utilização no Brasil”, garante o analista.

Fonte: Portal Madeira e Construção