Pinus. Foto: Berneck.

Sala de Imprensa

Notícias

Associação paranaense estimula a união entre as empresas florestais para enfrentar a crise do novo coronavírus

O setor florestal, um dos setores mais ativos da economia, também vem sentindo os efeitos da crise por conta do novo coronavírus. Neste contexto, as empresas estão buscando estratégias para manter as operações, com toda a garantia de segurança para os colaboradores. Nesse cenário desafiador, a união mostra-se ainda mais importante, com destaque para o trabalho das associações setoriais, que oferecem assistência e acesso à informação para manter as empresas preparadas.

É o caso da Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal (Apre), que vem fortalecendo a representação e estimulando a troca de informações. Prova disso é que a entidade conquistou, no último mês, dois novos associados, mesmo num momento difícil como o que o país enfrenta.

“O trabalho da Associação continua, mesmo à distância, porque precisamos apoiar nossos associados e ajudá-los a encontrar caminhos para passar por esta crise. Continuamos realizando reuniões técnicas com nossos associados, participando das comissões de estudo das normas técnicas, das reuniões com outras entidades, como a Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), e de encontros na Câmara Setorial de Florestas Plantadas, tudo de forma on-line. O que percebemos é que tanto as instituições representativas, como os empresários estão aproveitando o cenário para se reinventar e pensar em novas estratégias. Apesar de difícil, esse momento certamente vai trazer ainda mais oportunidades para o setor florestal”, garante o diretor executivo da Apre, Ailson Loper.

Ainda segundo Loper, essa é uma ótima ocasião para se discutir ainda mais a importância do associativismo, que fortalece as empresas e traz ganhos e desenvolvimento para o setor florestal como um todo. Para impulsionar esse avanço, a Apre mantém um diálogo permanente e articula ações integradas com os mais diversos atores político-institucionais, para debater propostas para a defesa de demandas e interesses do setor florestal. Esse trabalho permite a orientação e distribuição e acompanhamento das demandas do setor aos agentes responsáveis de forma canalizada e proativa, tudo pensando no desenvolvimento setorial do estado.

“Nosso setor é forte e resiliente, conforme já demonstramos em crises anteriores, além de ser fundamental para a economia do país e do Estado. O trabalho realizado por esse segmento tem impactos positivos não só na economia, mas também no desenvolvimento social e no meio ambiente, com geração de emprego e renda para inúmeras famílias. Por isso, reforçamos a mensagem de que devemos continuar unidos, para que nossas demandas sejam ouvidas e para que possamos fazer frente aos desafios, superando-os”, declara o diretor executivo da Apre.

Pandemia

Desde que a pandemia no novo coronavírus começou no mundo, a Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal (Apre) está atenta à movimentação e informando seus associados sempre que surge alguma novidade. Para isso, a Apre vem acompanhando, em tempo real, a situação dos setores de base florestal em cada Estado brasileiro. Além disso, a assessoria jurídica da Apre também vem trabalhando para reunir informações pertinentes e que devem ser compartilhadas com os associados. Por fim, a equipe da entidade está levantando informações locais com as associadas e também com as demais associações estaduais, a fim de disponibilizar conteúdo atualizado para ajudar na tomada de decisões dentro das empresas.