Pinus. Foto: Berneck.

Sala de Imprensa

Notícias

A maior construção de madeira da América Latina fica no Brasil e temos muito a comemorar

São 25 mil metros quadrados de área construída no Formoso do Araguaia (TO)

Um lugar bem quente mas com muito amor envolvido. Combinação perfeita para um imenso desafio: construir a moradia de quase 800 alunos da Fundação Bradesco na zona rural de Formoso do Araguia, Tocantins (clique aqui para saber onde fica).

Desafio posto, Marcelo Rosembaum e Adriana Benguela da Rosembaum; e Gustavo Utrabo e Pedro Duschenes, do escritório Aleph Zero e Hélio Olga e Daniel Salvatore, da ITA Construtora se uniram para fazer acontecer.

De uma imersão na Fazenda Canuanã, onde os biomas cerrado, pantanal e amazonia se encontram, a escolha pela madeira laminada colada de eucalipto aconteceu naturalmente.

“Foi a madeira que viabilizou a realização de um projeto tão grande em um lugar tão remoto do Brasil”, ressaltou Daniel Salvatore.

Foram mil metros cúbicos de MLC, aproximadamente cinco vezes a média de produção mensal da ITA Construtura.

“Neste projeto, o MLC permitiu a fabricação de peças de grandes dimensões proveniente de florestas plantadas. Essa tecnologia possibilitou curvas, seções variáveis e avanços que aumentam muito o campo de aplicação de madeira na construção”, explicou Rosembaum.

E se lá o clima é um complicador, sobretudo no que se refere à alternância de períodos rigorosos de seca e chuvosos (e por isso, orienta-se a manutenção periódica da camada de stain que recobre a estrutura, como de praxe em qualquer sistema), este projeto de MLC é um exemplo pontual de uma solução que poderia ser adotada em grande escala no Brasil.

Time responsável pelo Time responsável pelo “Moradas Infantis” em premiação do Tomie Ohtake nesta quinta, 10

Sim. Construção civil com madeira laminada de eucalipto é realidade. No Brasil. E daqui para frente, ainda contará com o suporte do recém instalado Núcleo da Madeira (leia matéria).

E se a notícia já é boa por si só, que tal a cereja do bolo?

Dia 10.08, meio quietinho, o projeto Moradias Infantis foi o grande vencedor do Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake Akzonobel, em uma cerimônia carregada de emoção em São Paulo.

Nem preciso dizer o quanto ficamos felizes!

Melhor ainda é que Daniel Salvatore estará comigo no próximo dia 17.08, no encontro anual de executivos florestais (GPS TALKS INSIGHTS) para contar todos os detalhes desse grandioso projeto.

Ficha Técnica Moradias dos alunos da Fundação Bradesco/Canuanã Local: Formoso do Araguaia, TO Data do início do projeto: 2013 Data da conclusão da obra: 2016 Área construída: 25.000 m²

Arquitetura: Rosenbaum + Aleph Zero Estrutura de madeira: Ita Construtora Paisagismo: Raul Pereira Arquitetos Associados Luminotécnica: Lux Projetos Luminotécnicos Fundações: Meirelles Carvalho Consultoria de conforto térmico: Ambiental Consultoria Instalações: Lutie Lajes em concreto: Trima Construtora: Inova TS Gerenciadora: Metroll Projeto de mobiliário: Rosenbaum e o Fetiche Material de registro e comunicação do projeto: Fabiana Zanin Fotos: Leonardo Finotti

Fonte: Robson Trevisan – Painel Florestal